Novembro das Pretas e dos Pretos

Neste mês de novembro, dedicado à Consciência Negra, o SINPROJA estará em prontidão na luta contra o preconceito racial e todas as formas de racismo que ainda são tão presentes na sociedade brasileira. Em nossa Coluna Semana Conversando com a Base nº 12, ressaltamos estas questões, deixando claro o desafio que ainda temos por enfrentar.

De acordo com o #ConversandoComABase, dados alarmantes comprovam o dificuldade em ser negro e negra neste país. Segundo texto, de acordo com o Atlas da Violência/2017, elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a cada 23 minutos, um/a jovem negro/a é morto/a no Brasil. A chance de um/a jovem negro/a ser assassinado/a é 12 vezes maior do que a de um/a jovem branco/a. Por dia são cerca de 63 vidas perdidas, muitas das quais são vítimas do próprio Estado. Os assassinatos de mulheres negras aumentaram 22%, enquanto, entre mulheres não negras, o índice foi reduzido em 11%. De cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. Enquanto a mortalidade de pessoas não negras diminuiu 12,2% entre 2005 e 2015, a taxa de homicídios de pessoas negras aumentou 18,2% no mesmo período.

Toda essa alarmante constatação, o texto ainda produz que segundo pesquisa da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Governo Federal, 56% das pessoas entrevistadas afirmam que as mortes de negros e negras chocam menos do que as de brancos/as. Triste realidade.

Acompanhe no site do SINPROJA todo Conversando com a Base nº 12. Dados, estatísticas, tudo que diz respeito ao assunto está lá. Acesse o link abaixo e lei todo conteúdo.

Conversando com a Base nº 12 — goo.gl/PwvcTi